24/02/2021 - De saída do Bahia, Gregore lembra jogo marcante, avalia legado e deixa portas abertas para volta

Bahia recebeu 2,9 milhões de dólares pelo volante, que vai para o Inter Miami, dos Estados Unidos

O Bahia perdeu o seu capitão e um dos símbolos do time nos últimos anos para o futebol dos Estados Unidos. De saída para o Inter Miami, o volante Gregore, de 26 anos, vai fazer, nesta quinta-feira, contra o Santos, o jogo de despedida do clube.

- Eu agradeço todos os torcedores. Agradeço o clube também. Penso em continuar evoluindo como pessoa, atleta. É ganhar títulos e evoluir. [Mensaffem] de gratidão por eles. No momento ruim eles cobraram. No momento bom, apoiaram. Torcida intensa, recebi milhares de mensagem me desejando sorte. É só agradecer por tudo que fizeram por mim - disse Gregore em entrevista coletiva concedida nesta quarta-feira.

O Tricolor negociou 65% dos direitos econômicos do jogador, que vai assinar contrato por quatro temporadas, e ficou com outros 35% para o caso de uma negociação futura. Segundo apuração do ge, o Bahia recebeu 2,9 milhões de dólares.

A saída de Gregore acontece após uma série de investidas de outros clubes. Em janeiro de 2020, uma equipe dos EUA ofereceu cerca de R$ 17 milhões por 80% dos direitos econômicos do atleta. Em setembro, o Trabzonspor, da Turquia, também teve proposta recusada.

O cenário da pandemia, contudo, mudou o poder de barganha do clube baiano. Em 2020, o Bahia arrecadou R$ 137 milhões, R$ 32 milhões a menos do que o clube tinha projetado para o ano. Em momento financeiro difícil, o Tricolor confia na venda de atletas para equilibrar as contas em 2021. A diretoria tricolor estima conseguir R$ 25 milhões em vendas na atual temporada.

O volante também explicou o que mudou para que negociação fosse concluída desta vez.

- O projeto que foi apresentado dessa vez fez eu acreditar, entramos em acordo com diretoria também. Acho que era o momento de eu ir. Não tem como falar que minha passagem poderia ter continuado. Ambas as partes entraram em acordo, conversei com familiares e achei melhor fazer essa mudança.


Gregore chegou ao Bahia desconhecido, em 2017, após atuar pelo time sub-23 do Santos, e ficou marcado pela liderança e poder de marcação. Ao longo de três temporadas, disputou 166 partidas, marcou dois gols e conquistou três títulos do Campeonato Baiano. O volante fez um balanço da passagem, com os momentos mais marcantes e o que deixa de legado.

- Classifico como passagem muito boa, aprendi muito e evolui como atleta e ser humano. Ganhei títulos, queria ter ganhado títulos com maior expressão. O que levo daqui e da cidade é essa energia da Bahia, que entrou na minha vida e fez eu ser essa pessoa intensa que sou hoje - avalia.
- Momentos ruins agora, esse ano foi muito complicado. Em três anos, foi o mais complicado. Vivi dois anos de alegria. Isso me fortaleceu também. Na Sul-Americana, que eu fiz o gol [contra o Nacional-PAR]. Aquele triunfo foi importante - continua.

Gregore também deixou as portas abertas para um possível retorno ao Bahia no futuro.

- Com certeza. Sempre tomei cuidado para a gente respeitar a instituição Bahia, que é maior que qualquer jogador ou treinador. Acho que futuramente se houver acordo de ambas as partes voltarei feliz e motivado.

A partida de despedida de Gregore pelo Bahia está marcada para as 21h30 (de Brasília), na Arena Fonte Nova.

Fonte: www.globoesporte.com